Luar de Natal

Luar de Natal ou a hiperfocal impossível

20151225_luar125 de Dezembro de 2015, Lisboa, Portugal, f=270mm, f/29, 1/100s, ISO 640

Esta noite ofereceu-nos uma oportunidade rara: uma noite de Natal de Lua Cheia. Numa noite em que muita gente sai à rua para celebrar a Consoada em casa de familiares ou ir à Missa do Galo, é um encanto especial poder palmilhar as ruas à luz do luar. Ainda por cima, beneficiámos em Lisboa de uma temperatura amena para a época (9ºC) e o céu, encoberto de nevoeiro e nuvens baixas à hora do ocaso, foi-se abrindo à medida que a lua subia no céu.

A Noite de Natal ocorre uma vez por ano, um céu limpo em Dezembro acontece talvez uma noite em cada três, uma lua cheia na Noite de Natal, acontece uma vez a cada 29 anos, aproximadamente. Logo, o cenário que hoje saboreámos ocorrerá em média uma vez a cada 87 anos! Será que apreciámos bem esta prenda rara?

Nas latitudes mais setentrionais, um passeio ao luar sobre um chão nevado será certamente um espectáculo ainda mais sobrenatural, mas eu já me encanto com as casas de paredes brancas cuja alvura é sublinhada pelo luar. Penso ainda que, provavelmente, não voltarei a ver outro Luar de Natal assim nos anos que me restam de vida. Se aceitarmos uma lua cheia na Véspera de Natal, o próximo Luar de Natal será em 2034.

Fui buscar a máquina fotográfica para registar este momento. E lembrei-me de fotografar a nossa árvore de Natal, este ano um limoeiro modestamente decorado com uma fita de LEDs de cor branca (warm white, 2400ºK). Tratava-se de buscar uma hiporfocal(1) impossível; focar simultaneamente as folhas da árvore 2 metros acima de mim e a Lua a 368000km de distância, aproximadamente.

Pelas minhas contas, a distância hiporfocal com a lente 70-300mm e o diafragma fechado ao máximo (f/29), seria de 84 metro para 270mm e de “apenas” 38 metro para uma distância focal de 170mm. Isto significaria que os objectos entre metade da Hiperfocal e o infinito estariam focados (42m para 270mm e 19m para 170mm). Para conseguir uma boa focagem de ambos os planos, precisaria de uma árvore de 42m de altura  (ou de 19m se me contentasse com uma focal de 170mm) e uma escada de altura semelhante para decorar a árvore. Impossível.

Na realidade, a minha lente tem alguma perda de focagem na distância focal máxima e por isso uso 270mm em vez de 300mm para focar melhor e, de facto, a focagem óptima é antes do infinito. Juntei o flash para que se vissem as folhas das árvores e o resultado é o ilustrado acima. Se, pelo contrário, se optar por focar as luzes LED em primeiro plano, o resultado mostra-se abaixo.

20151225_luar225 de Dezembro de 2015, Lisboa, Portugal, f=270mm, f/29, 1/100s, ISO 640

Como nota final, o carácter difractário da luz manifesta-se na capacidade da lente obter uma imagem nítida da Lua focando na Hiperfocal fazendo desaparecer o cabo eléctrico e a luz LED que se encontram no seu caminho.

Ah, já me esquecia: FELIZ NATAL!

Referências

(1) Para saber mais sobre a hiperfocal sugiro o artigo da Wikipedia em inglês.

Anúncios

2 responses to “Luar de Natal

  1. Pingback: Sol | Almofala·

  2. Pingback: Será que (ainda) preciso de uma reflex? | Almofala·

Deixe uma resposta - Leave a Reply

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s